Índia divulga nomes de suspeitos de ataques a Mumbai

Autoridades indianas divulgaram nesta terça-feira as identidades de nove suspeitos dos ataques à cidade de Mumbai, há duas semanas, e que teriam sido mortos durante os confrontos. Foram divulgadas fotografias de oito dos suspeitos de terem participado dos atentados.

BBC Brasil |

A imagem de um nono extremista não foi divulgada, pois seu corpo teria ficado severamente queimado.

Segundo a polícia indiana, todos os suspeitos seriam paquistaneses. Não foi revelado o modo como se chegou a esta informação, mas outro dos atiradores, Azam Amir Qasab, foi detido e interrogado.

O ataques, que começaram no dia 26 de novembro, vitimaram pelo menos 170 pessoas.

O governo indiano tem culpado militantes paquistaneses do grupo Lashkar-e-Taiba pelos ataques.

Horas antes, ainda nesta terça-feira, o governo paquistanês afirmou ter detido dois líderes do grupo em uma operação, mas se recusou a entregar os suspeitos à Índia.

Único sobrevivente
O investigador chefe da polícia de Mumbai, Rakesh Maria, mostrou nesta terça fotografias dos suspeitos que teriam sido encontradas junto a seus corpos ou tiradas de carteiras de identidade que eles carregavam.

Segundo ele, os suspeitos tinham entre 20 e 28 anos de idade. Foram descobertos apenas um nome ou os codinomes usados por alguns dos militantes.

O suspeito mais jovem foi identificado como Shoaib, codinome Soheb, que teria 20 anos de idade e seria natural do Punjab paquistanês.

Outros três suspeitos, segundo Maria, seriam naturais da cidade de Multan, que fica ao sul da mesma província.

Ele ainda afirmou que o líder dos extremistas seria um veterano do Lashkar-e-Taiba chamado Ismal Khan, de 25 anos e que seria natural da província da Fronteira Noroeste.

As autoridades ainda afirmaram que o único suspeito que sobreviveu, Azam Amir Qasab, teria sido doutrinado e treinado em um campo da Lashkar-e-Taiba.

Informações divulgadas pela mídia dão conta de que durante o interrogatório, Qasab teria sido drogado com "soro da verdade".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG