O ministro indiano das Relações Exteriores, Pranab Mukherjee, anunciou nesta segunda-feira que Nova Délhi apresentou oficialmente a Islamabad o que afirma ser provas do envolvimento de elementos paquistaneses nos atentados de novembro em Mumbai.

"Apresentamos ao Paquistão provas sobre as relações de elementos paquistaneses com os terroristas que atacaram Mumbai em 26 de novembrou", declarou Mukherjee.

"O que aconteceu em Mumbai é um crime imperdoável. Simplesmente pedimos ao governo do Paquistão que cumpra os compromissos assumidos com as principais autoridades indianas e cumpra suas obrigações internacionais", acrescentou.

Nova Délhi, Washington e Londres atribuíram os atentados de Mumbai - de 26 a 29 de novembro, com um saldo de 172 mortos - ao Lashkar-e-Taiba (LeT), um grupo islamita armado clandestino paquistanês.

O movimento, que negou envolvimento nos ataques, teria treinado o comando formado por 10 terroristas, todos paquistaneses, com o apoio de "elementos" do regime paquistanês, ou seja, dos serviços de inteligência de Islamabad, segundo Nova Délhi.

A Índia iniciou uma grande ofensiva diplomática para convencer a comunidade internacional de que o complô foi tramado no Paquistão.

O governo indiano afirma dispor de transcrições de ligações telefônicas, comunicações interceptadas e relatórios de interrogatórios para corroborar as acusações, segundo o jornal Indian Express.

Leia mais sobre: atentados em Mumbai

Leia também

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.