A Índia advertiu nesta segunda-feira aos Estados Unidos de que se oporá ao tratado que a ONU promove para proibir os testes de armas nucleares, que os indianos consideram discriminatório apesar dos esforços do presidente Barack Obama para que Washington o ratifique.

Shyam Saran, enviado especial da Índia para assuntos nucleares, disse em uma visita a Washington que o Tratado Geral para a Proibição de Testes Nucleares (CTBT, em inglês) pode ser um tema "contencioso" com o governo dos Estados Unidos.

O CTBT procura proibir qualquer explosão nuclear, por qualquer motivo, mas não gera obrigações internacionais pelo fato de potências nucleares como Estados Unidos ou China não o terem ratificado.

Inclusive países que possuem a bomba, como Índia ou Paquistão, sequer o assinaram.

Saran explicou que a Índia se opõe ao acordo porque "não está explicitamente vinculado à meta de desarmamento nuclear".

A Índia, que se declarou potência nuclear em 1998, "não aceita legitimar de qualquer forma uma divisão permanente entre Estados com armas nucleares e Estados sem armas".

sct/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.