Índia adverte de opção militar se exigências ao Paquistão não forem atendidas

Nova Délhi, 22 dez (EFE) - O ministro de Assuntos Exteriores indiano, Pranab Mukherjee, advertiu hoje de que a Índia mantém todas as opções abertas, entre elas a militar, se o Governo do Paquistão não responder às exigências do país após o atentado de Mumbai.

EFE |

Após dizer que "ninguém declara na imprensa" a possibilidade de um conflito armado, o ministro reiterou que a Índia espera que o Paquistão cumpra seus compromissos "como um membro respeitável da comunidade de nações".

Mukherjee fez as declarações, reproduzidas pelas agências indianas "PTI" e "Ians", após inaugurar uma conferência de chefes de delegações diplomáticas indianas no mundo todo que começou hoje em Nova Délhi.

No pronunciamento, o chanceler voltou a exigir o desmantelamento total da "infra-estrutura terrorista" no Paquistão, a qual chamou de "o maior perigo terrorista para a paz e a segurança de todo o mundo civilizado", segundo o comunicado oficial.

Mukherjee destacou que os esforços da comunidade internacional para pressionar o Paquistão a agir em conseqüência "não são suficientes" e que "é preciso fazer muito mais".

Após insistir em que o Governo indiano espera que o paquistanês faça algo contra os "elementos dentro do Paquistão que continuam usando o terrorismo como um elemento de política estadual", Mukherjee também disse esperar que a comunidade internacional pressione o Paquistão para que empreenda "ações efetivas".

No entanto, acrescentou, "sabemos que, no final, somos nós quem temos que lidar com este problema" e "adotaremos todas as medidas necessárias" para isso.

Até agora, o Governo indiano tinha descartado expressamente que estivesse considerando a opção militar na crise com o Paquistão após o ataque terrorista de novembro na cidade portuária de Mumbai, no qual 179 pessoas morreram. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG