Índia acusa Paquistão de abrigar 42 acampamentos terroristas anti-Índia

Nova Délhi, 17 mar (EFE).- O Governo indiano estimou hoje que há 42 acampamentos terroristas que atuam contra a Índia em território paquistanês e voltou a acusar o país vizinho de não tomar medidas sérias para impedir essas atividades insurgentes.

EFE |

"Todos os acampamentos terroristas no Paquistão estão ativos. O país não tomou medidas sérias para destruí-los", explicou em entrevista coletiva o ministro da Defesa indiano, Shri A.K. Antony.

Em declarações citadas pela agência indiana "Ians", Antony disse "não esperar milagres" das negociações entre os dois países e assegurou que a Índia "explora todas as possibilidades", mas ao mesmo tempo se referendou que seu país manterá sua estratégia de diálogo.

Índia e Paquistão retomaram o diálogo em 25 de fevereiro, suspenso após o atentado de Mumbai no final de 2008, com uma reunião entre os chanceleres, encerrada com uma tênue promessa de "manter-se em contato" e "restaurar a confiança".

O Paquistão negou até agora que esteja acobertando armas ou fornecendo treinamento a terroristas, mas a Índia afirma que o atentado de Mumbai foi cometido por membros do grupo separatista da Caxemira Lashkar-e-Toiba, que opera com base no país vizinho.

"A Caxemira está voltando à normalidade, a violência na região é menor. Mas essa situação não é tolerada por forças hostis à Índia", disse o ministro.

A Caxemira é o calcanhar de Aquiles das turbulentas relações entre Índia e Paquistão, dois países que disputam a soberania sobre essa região desde a independência e divisão do subcontinente indiano, em 1947.

Desde então, os dois países travaram três guerras, além de frequentes atritos na fronteira, onde a Índia denuncia a infiltração de insurgentes procedentes do território paquistanês. EFE daa/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG