Incidência de aids em brasileiros com mais de 50 anos dobra em 10 anos

Rio de Janeiro, 25 nov (EFE).- A incidência de aids nos brasileiros com mais de 50 anos dobrou em dez anos, passando de 7,5 casos por cada 100.

EFE |

000 habitantes em 1996 para 15,7 em 2006, informou hoje uma fonte oficial.

O Boletim Epidemiológico aids/DST 2008 divulgado hoje pelo Ministério da Saúde afirmou que 62% dos 47.437 casos de pessoas com mais de 50 anos que contraíram o vírus foram registrados após 2000.

A análise permitiu estabelecer que enquanto 22,3% dos brasileiros sexualmente ativos com mais de 50 anos usam preservativos, esta percentagem é de 57,3% entre pessoas de 15 a 24 anos.

Estes números levaram o Ministério da Saúde a anunciar hoje uma campanha especial para incentivar a prevenção entre os idosos.

"As pessoas ficam fantasiando que coroa não têm relações sexuais, fica fazendo tricô, jogando baralho. É uma tremenda fantasia", declarou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Com relação ao aumento da sobrevivência média das pessoas com aids de 4 anos e 8 meses em 1995 para até 9 anos em 2007, o Ministério da Saúde atribuiu isto principalmente ao diagnóstico precoce da doença, ao acesso aos remédios e a um acompanhamento clínico adequado.

Segundo o estudo, a sobrevivência média de uma criança de 13 anos após 60 meses com a doença também melhorou ao passar de 25% em 1980 para 86% em 2002.

O Brasil registrou 33.689 novos casos de aids no ano passado, um pouco abaixo dos 35.459 notificados em 2006, o que faz com que o Ministério da Saúde considere que a epidemia está estabilizada.

Entre 1980 e junho de 2008 foram registrados 506.499 casos de aids no país, período no qual morreram 205.409 pessoas como conseqüência da doença.

Da mesma forma, a taxa de incidência da doença na população em geral aumentou de 17,7 casos por 100.000 habitantes em 2000 para 19 em 2006.

Os cálculos do Ministério da Saúde indicam que cerca de 630.000 pessoas são portadoras do vírus da aids no Brasil, país considerado modelo por suas políticas de distribuição gratuita de remédios para doentes e preservativos para prevenir a transmissão.

Apesar de o boletim indicar que 66% dos portadores de aids no país sejam homens e 34% mulheres, os números mostram um crescimento de casos entre o gênero feminino.

Enquanto em 1986 era registrado um caso de mulher para cada 15 de homens, desde 2000 a percentagem é de 10 casos de mulher para cada 15 de homens. EFE cm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG