Incêndios perto de Atenas recuam após 3 dias

Por Angeliki Koutantou e Dina Kyriakidou ATENAS (Reuters) - Os bombeiros enfrentavam com sucesso nesta segunda-feira um incêndio florestal que há três dias devasta casas e áreas de mata nos arredores de Atenas, deixando milhares de desabrigados.

Reuters |

Doze aviões gregos, italianos e franceses participavam do combate às chamas, alimentadas por fortes ventos matinais. "O fogo ainda se propaga, mas não com a intensidade dos dias anteriores," disse Giannis Kapakis, porta-voz dos bombeiros.

Só três focos principais restam no leste da península de Ática, onde foi declarado estado de emergência no sáabdo. "As forças aéreas estão operando desde o começo da manhã, e esperamos que a frente do fogo seja controlada ainda neste dia," declarou Iordannis Louizos, prefeito de Nea Makri, cidade próxima aos incêndios.

Na noite de domingo, o fogo chegou a ameaçar subúrbios de Atenas, e as autoridades usaram alto-falantes para orientar a população a deixar suas comunidades.

Enquanto milhares de pessoas deixavam as casas, usadas principalmente para veraneio, outras usavam mangueiras e galhos para tentar impedir a entrada das chamas em suas propriedades.

Essa é a pior onda de incêndios na Grécia desde os de 2007, que duraram dez dias e mataram 67 pessoas. O combate às chamas pode ter implicações políticas, já que o governo tem maioria de apenas um deputado no Parlamento, e a oposição socialista, à frente nas pesquisas, ameaça antecipar as eleições gerais.

A oposição disse que a operação poderia ser melhor coordenada. O partido comunista KKE exigiu que o governo mobilize mais aviões. "O que importa é cobrir as enormes deficiências na estrutura de combate ao fogo," disse Aleka Parariga, líder do KKE.

As chamas já afetaram mais de 15 mil hectares de florestas, lavouras e olivais, além de inúmeras casas. Um promotor público solicitou um inquérito sobre uma possível origem criminosa do incêndio, numa região onde já houve casos provocados por incorporadores imobiliários.

Os meteorologistas alertam que haverá ventos fortes até a noite de segunda-feira, alimentando as chamas.

O governo grego mobilizou quatro helicópteros, 187 veículos e cerca de 430 bombeiros. Cerca de 300 soldados também foram despachados. Dois aviões italianos, um avião francês, um helicóptero e 40 bombeiros cipriotas participam da operação.

O incêndio começou na noite de sexta-feira na aldeia de Grammatiko, cerca de 40 quilômetros a nordeste de Atenas, e rapidamente se espalhou. Um hospital infantil, um asilo para idosos e um monastério tiveram de ser desocupados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG