Incêndios florestais na Rússia matam 18 pessoas

Presidente Dimitri Medvedev pediu ao governo que tome medidas urgentes para lutar contra os focos de incêndio

iG São Paulo |

Ao menos 18 pessoas, entre elas três bombeiros, morreram nos incêndios florestais que ganham terreno no centro da Rússia durante uma seca sem precedentes, que já destruiu aldeias com casas de madeira, segundo o mais recente balanço do ministério das Situações de Emergência.

O primeiro-ministro Vladimir Putin viajou à região de Nijni Novgorod (centro) e se reuniu com os habitantes de uma aldeia de mais de 300 casas que foram totalmente destruídas pelo fogo. Putin prometeu indenizar com 200.000 rublos (US$ 6.614) cada um dos habitantes, indicou a agência ITAR-TASS.

© AP
Putin visita área devastada por incêndio florestal

Além disso, Putin indicou que o governo vai averiguar a responsabilidade dos funcionários por sua atuação na emergência perante as queixas da população, que reclama que as autoridades não reagiram a tempo.

No início de semana, o chefe do governo alertou às autoridades regionais sobre a magnitude destes incêndios, que já queimaram cerca de meio milhão de hectares de florestas. "Nas autoridades regionais recai a responsabilidade da infraestrutura contra incêndios nas florestas. Qualquer imprevisto pode ter consequências trágicas e, por isso, é inaceitável", disse.

O presidente Dimitri Medvedev pediu ao governo que tome medidas urgentes para lutar contra os focos de incêndio. Além disso, instruiu ao Gabinete de Ministros para que sejam adotadas todas as medidas necessárias para redobrar a prevenção de incêndios, em vista da onda de calor fora do normal que afeta a Rússia.

    Leia tudo sobre: Rússiaincêndio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG