Incêndios florestais matam pelo menos 14 no sul da Austrália

Sydney (Austrália), 7 fev (EFE).- Pelo menos 14 pessoas morreram nos incêndios florestais que destruíram dezenas de milhares de hectares e cerca de 100 casas nos estados de Victoria e Nova Gales do Sul, no sul da Austrália.

EFE |

O subdiretor da Polícia Kieran Walshe disse que todas as mortes ocorreram nos incêndios que os bombeiros tentam controlar no noroeste de Melbourne, capital de Victoria, e disse que o número de vítimas fatais pode chegar a 40.

Walshe disse que será preciso esperar a noite de sábado para determinar o número total de mortos e a identidade das vítimas, o que ocorrerá na manhã do domingo.

O incêndio florestal começou em East Kilmore, cerca de 80 quilômetros ao norte de Melbourne.

O fogo aumentou até abranger uma extensão de 1,4 mil hectares, avançou através de 30 quilômetros e destruiu cerca de 100 casas das pequenas localidades de Wandong, Strathewen, Kinglake e Clonbinane.

"Tuda Kinglake está em chamas. Eu moro a alguns quilômetros da localidade e ouvi explosões. Quando cheguei à estrada, havia fogo por todas as partes", disse Peter Mitchell à emissora de rádio "ABC".

Nove focos de incêndio estão sem controle em Victoria e é noite, o que dificulta os trabalhos dos bombeiros.

A Polícia acredita que alguns dos incêndios que começaram hoje foram provocados.

A Austrália registrou neste verão uma onda de calor sem precedentes, com temperaturas acima dos 46 graus, mas a mudança na direção dos ventos fez com que as temperaturas baixassem no sul.

A melhoria aliviou a situação na Austrália do Sul, mas, em Victoria, reacendeu os incêndios.

Os meteorologistas previram que os termômetros continuarão acima dos 40 graus até domingo em Nova Gales do Sul e Canberra.

A temperatura em Melbourne chegou nos dias anteriores a 46,4 graus, o nível mais alto desde 1855, quando este tipo de dado começou a ser registrado. EFE mg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG