Toronto (Canadá), 3 ago (EFE).- Milhares de pessoas foram retiradas de suas casas nas últimas horas na província canadense da Colúmbia Britânica diante dos incêndios florestais que afetam a região e que já destruíram 550 quilômetros quadrados de mata.

As autoridades da província, situada no litoral do Oceano Pacífico, estão acompanhando a evolução de 739 incêndios florestais e temem que o número continue aumentando com as altas temperaturas e o tempo seco que tomam conta da região há semanas.

Uma porta-voz do Ministério de Florestas da província declarou ao jornal "National Post" que "a quantidade de incêndios está crescendo de forma rápida. Poderemos ver mais (incêndios) começarem nos próximos dois dias com a previsão de elevadas temperaturas".

As altas temperaturas inéditas na Colúmbia Britânica fizeram com que 85% do território da província estejam sob risco elevado ou extremo de incêndio, advertiu o primeiro-ministro provincial, Gordon Campbell.

As autoridades também informaram que quase 90% dos 2.100 incêndios registrados na província desde abril foram causados por raios. O restante foi provocado pelo homem.

Nas últimas horas, as autoridades ordenaram a saída de 2.300 pessoas da localidade de Lillooet, na região central da Colúmbia Britânica, diante do avanço sem controle de um incêndio que já consumiu 2.650 hectares nos arredores do monte McLean.

Outras 2.500 pessoas que moram na área do lago Okanagan já estão há três dias fora de seus lares diante da rápida expansão de um incêndio no monte Terrace.

Milhares de bombeiros, incluindo mais de 800 vindos de outras províncias canadenses, estão combatendo as chamas. EFE jcr/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.