Incêndio no Chile provoca morte e arrasa milhares de hectares

Segundo autoridades, incêndio florestal na região de Bío-Bío matou um idoso e destruiu 30 casas e 8 mil hectares

iG São Paulo |

Um incêndio florestal na região de Bío-Bío, ao sul do Chile, deixou um morto, 30 casas destruídas e mais de 8 mil hectares arrasados, informou nesta segunda-feira as autoridades do país.

Leia também:
- Incêndio na Patagônia do Chile devasta 12.560 hectares
- Chile pede ajuda internacional por incêndio na Patagônia

O incidente se soma a outro que desde a semana passada atingiu mais de 12 mil hectares de floresta nativa do Parque Nacional Torres del Paine, na Patagônia chilena, a 2 mil km ao sul de Santiago.

Nas últimas horas, o vento e as altas temperaturas espalharam as chamas em Bío-Bío, que começou na noite de sexta-feira, nas proximidades da localidade e Quillón, a 450 km de Santiago. Até agora, dois municípios declararam alerta vermelho na região devido a cinco focos de incêndio ativos.

"A situação se tornou especialmente complexa", reconheceram os jornalistas Vicente Núñez, diretor do Escritório Nacional de Emergência (Onemi), após confirmar que as chamas alcançaram áreas povoadas. "Entre 500 e 600 tiveram de ser retirados de suas casas", estimou Núñez, quem revelou a localização de um corpo em duas das casas atingidas.

O óbito confirmado é o de Juan Ernesto Campos Bello, 75 anos. Ele não conseguiu deixar o seu imóvel com a rapidez que a situação exigia. O diretor da Onemi afirmou que a situação é de "alta preocupação", uma vez que o incêndio obrigou a cortes parciais do trânsito em duas estradas da região.

Segundo o órgão, 350 homens da Corporação Nacional Florestal, bombeiros, militares e funcionários de empresas privadas trabalham nessa área com o apoio de seis aviões e dez helicópteros, detalharam as autoridades. Nessa segunda-feira, mais 135 especialistas se somarão ao esforço de combate ao fogo.

A situação em Bío-Bío se complicou mais ainda na madrugada de domingo, quando outro incêndio arrasou uma unidade de uma fábrica de celulose. As chamas começaram por volta das 5h (6h em Brasília) nas colinas limites à indústria e se propagaram rapidamente por causa do forte vento.

Na região de Magallanes, entretanto, uma diminuição dos ventos permitiu controlar em horas no domingo três dos seis focos que desde a semana passada arrasaram 12.795 hectares do Parque Nacional Torres del Paine. Com isso, foi possível proteger dezenas de cervos e outras espécies de animais da zona.

"Esperamos manter o controle dos seis focos nas próximas horas ou dias", declarou à imprensa o ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter.

Para essa segunda-feira, a previsão é de que haja condições favoráveis à luta contra incêndios por via aérea, já que eram esperados ventos com força entre 30 e 40 km/h, revelaram as autoridades.

Com EFE

    Leia tudo sobre: chileincêndiobio biopatagôniafogo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG