Incêndio em parque da Patagônia consumiu mais de 11 mil hectares

Chile pede ajuda internacional para combater chamas no parque nacional de Torres de Paine; 700 turistas foram retirados do local

iG São Paulo |

As autoridades chilenas confirmaram na sexta-feira à noite que o incêndio que afeta o parque nacional Torres del Paine , na Patagônia, consumiu 11 mil hectares de floresta nativa e arbustos, e por isso a condição de alerta máximo ainda será mantida.

Saiba mais: Chile pede ajuda internacional por incêndio na Patagônia

A informação foi dada pelo diretor do Escritório Nacional de Emergência, Vicente Nuñez, que afirmou também que o fogo não pôde ser controlado por causa das condições climáticas adversas.

Mais 237 homens foram enviados para tentar combater o incêndio. O funcionário disse que uma leve chuva foi registrada na sexta-feira, mas que isso não foi capaz de diminuir as chamas. "No entanto, a previsão e de que no fim de semana os ventos diminuirão, o que permitirá um combate mais eficaz ao fogo", explicou.

O governo chileno pediu ajuda internacional por causa da magnitude do incêndio, que começou na quarta-feira, e além disso declarou "zona de catástrofe na Patagônia" para multiplicar a ajuda que seja necessária para acabar com o incêndio.

Em coletiva o presidente do Chile, Sebastián Piñera, pediu ajuda urgente a EUA, Austrália e Argentina. Piñera, que estava no balneário de Viña del Mar com a família para passar as festas de fim de ano, retornou rapidamente à capital e se instalou por algumas horas nas dependências do Escritório Nacional de Emergência por causa do episódio.

Pelo menos 700 turistas e dezenas de trabalhadores tiveram de ser retirados rapidamente da região, considerada reserva da biosfera pela Unesco, e onde chegam nos meses do verão austral 130 mil visitantes, a maioria europeus. O incêndio pode ter começado numa trilha para turistas e consome cerca de 2,5 mil hectares por dia.

O incêndio ameaça a fauna existente no lugar. Na região habita o huemul chileno, um cervo autóctone pouco conhecido, que faz parte do escudo nacional, e muitas espécies que não se encontram em nenhum outro ponto do planeta e estão em perigo de extinção há várias décadas.

Piñera lembrou que o rápido avanço das chamas fez com que as autoridades regionais determinassem rapidamente o fechamento total do parque, de mais de 240 mil hectares e um dos mais visitados por turistas estrangeiros.

O presidente disse que foram solicitadas fotos feitas pelos satélites para obter "um diagnóstico mais preciso e poder ver o que infelizmente os aviões e helicópteros não podem observar pelas condições de fumaça no lugar". Piñera antecipou que o parque permanecerá fechado enquanto durar o incêndio e ressaltou que o fogo pode ter se originado por negligência ou distração de um turista.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: chilepatagôniaTorres del Paineincêndio florestalincêndiopiñera

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG