Incêndio deixa quase 60 mortos no réveillon de uma discoteca em Bangcoc

Quase 60 pessoas morreram e 223 foram feridas num incêndio durante a festa do Ano Novo, na madrugada de quarta para esta quinta-feira, numa discoteca em Bagcoc, segundo fontes do socorro.

AFP |

O incêndio destruiu o clube Santika no distrito de Ekkamai, um bairro de entretenimentos para os tailandeses e os estrangeiros, indicou Vallop Janthorn, um responsável da coordenação de luta contra incêndios na capital tailandesa.

O coronel Sutin Sapmuang, da polícia local, declarou à AFP que 58 pessoas foram confirmadas mortas. "Estamos investigando a origem do incêndio", acrescentou.

Segundo um responsável dos serviços de socorro, 223 pessoas foram feridas e levadas a 19 hospitais da cidade. "Até agora contamos 223 feridos, entre os quais 29 estrangeiros. Entre eles, franceses, australianos, suíços, japoneses e finlandeses", indicou.

A agência de notícias japonesa Kyodo, citando a embaixada do Japão, indicou que quatro japoneses foram feridos, um deles gravemente. Dois cidadãos de Cingapura foram também levemente feridos e internados, anunciou o ministério das Relações Estrangeiras de Cingapura.

"Parece que o fogo pegou na área onde uma banda estava tocando. Teve um show pirotécnico e isso deve ter sido a origem do incêndio", indicou o lugar-tenente coronel da polícia Prawit Kantwol.

"A maioria das vítimas morreu sufocada, mas algumas pessoas morreram na multidão, quando as pessoas tentavam sair correndo da discoteca", acrescentou este responsável.

Este estabelecimento, de dois andares, freqüentado pela elite de Bangcoc, tinha capacidade para 1.000 pessoas, mas ainda não se sabe quantas pessoas estavam no local quando o fogo começou.

Segundo um oficial de polícia, que pediu anonimato, várias horas após o incêndio havia ainda 30 corpos no clube que não tinham sido recolhidos.

Quase todos os mortos estavam no térreo, onde ficava o palco.

Responsáveis dos bombeiros afirmaram que o número de mortos foi grande principalmente porque não havia saída de emergência o suficiente e as janelas do andar de cima estavam fechadas com barras de ferro.

"Havia apenas uma saída principal na frente do imóvel. As pessoas que trabalhavam no local conseguiram sair por trás porque conheciam as saídas, mas as outras não tiveram nenhuma chance de se salvar", disse Wacharatpong Sri-Saard, membro dos bombeiros .

Segundo um correspondente da AFP, a discoteca foi praticamente toda destruída pelo fogo que queimou entre meia-noite e uma da manhã, pouco tempo depois da comemoração da passagem do ano.

A fachada do imóvel ficou preta e o telhado desabou, acrescentou o jornalista da AFP.

Responsáveis dos serviços de combate a incêndio e médicos legistas foram vistos entrando na discoteca, enquanto dezenas de pessoas aguardam na porta por notícias de seus próximos que estavam na festa na hora do incêndio.

uan-ask/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG