InBev conclui compra da Anheuser-Busch e cria o maior grupo cervejeiro do mundo

A cervejaria belgo-brasileira Inbev anunciou nesta terça-feira a compra de sua concorrente americana Anheuser-Busch, criando assim o maior grupo mundial de produção de cerveja, segundo um comunicado.

AFP |

"Estamos felizes em anunciar a conclusão dessa histórica transação", indicou o presidente da Inbev, Carlos Brito, citado no comunicado.

"A partir de hoje, a InBev muda seu nome para Anheuser-Busch InBev para refletir a herança e tradições da Anheuser-Busch", acrescenta o texto.

Depois de resistir à ofensiva da InBev, o conselho administrativo da Anheuser-Busch, proprietária da conhecida cerveja Budweiser, terminou aceitando, em julho passado, a oferta melhorada, que situa o valor da operação em 52 bilhões de dólares.

A união das duas cervejarias dará à luz uma nova empresa, a "Anheuser-Busch InBev", conglomerado que contará com um faturamento anual de 36 bilhões de dólares e vendas de 460 milhões de hectolitros.

Separadas, a InBev era a maior produtora mundial, e a Anheuser-Busch era líder de faturamento.

A fusão, que põe fim a cerca de 150 anos da Anheuser-Busch, provocou reações hostis num primeiro momento, quando a InBev fez sua oferta inicial.

A família fundadora, no entanto, não tinha meios para se opor à oferta do grupo belga-brasileiro, já que possuía apenas uma pequena porcentagem do capital da empresa.

Assim, o conselho administrativo da Anheuser-Busch terminou aceitando em julho um acordo, que inclui o compromisso da InBev de manter as 12 produtoras americanas do grupo.

Após ser aprovada pelos acionistas de ambas as partes, a operação recebeu o aval das autoridades americanas na sexta-feira, mas o acordo precisou ser adaptado a algumas exigências para evitar distorções no mercado dos Estados Unidos.

Uma dessas condições determina que a InBev venda suas atividades americanas da Labatt, sua filial canadense, para manter a livre concorrência dos mercados regionais nos Estados Unidos e evitar o risco de uma alta nos preços.

A crise financeira despertou dúvidas entre alguns analistas acerca da capacidade da InBev de concluir a operação nos prazos previstos - ou seja, antes do fim do ano.

Para isso, a InBev pediu um empréstimo no valor de 45 bilhões de dólares em 19 bancos diferentes, informou em outubro uma porta-voz do grupo, destacando que o financiamento havia sido feito por "um grupo diversificado de bancos sólidos".

A InBev nasceu em 2004 da fusão do gigante belga Interbrew e da brasileira Ambev.

bur-mar/cn/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG