Imprensa israelense comemora indicação de Emanuel para secretário-geral da Casa Branca

A imprensa israelense comemorou nesta quinta-feira a escolha feita pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, de Rahm Emanuel, cogitado para o cargo de secretário-geral da Casa Branca, destacando suas origens israelenses.

AFP |

Os jornais e as rádios destacaram que Binyamin Emanuel, o pai de Rahm Emanuel tem nacionalidade israelense e fez parte do "Etzel", um grupo clandestino ultranacionalista judeu que realizou uma guerrilha contra as tropas britânicas antes da criação do Estado de Israel em 1948.

Ele emigrou em seguida com sua família para os EUA nos anos 60 e foi morar em Chicago. Em 1997, Rahm Emanuel realizou um curto período de serviço militar em Israel, disse o jornal Haaretz.

Durante o período que precedeu a intervenção no Golfo de 1991 ele foi voluntário num escritório de recrutamento do exército israelense. Em seguida, serviu durante dois meses uma unidade encarregada da reparação dos blindados perto da fronteira libanesa, acrescentaram os jornais Haaretz e Maariv.

Maariv apresentou Rahm Emanuel como "o nosso homem na Casa Branca", segundo o título de um artigo dedicado a ele. "É evidente que ele vai influenciar sobre o presidente para que ele seja pró-israelense", afirmou seu irmão ao jornal. "Por que ele não o faria? Será que ele conseguir deixar sua consciência fora da Casa Branca", acrescentou Binyamin Emanuel.

Rahm Emanuel representante de Illinois na Casa dos representantes e próximo de Barack Obama, pretende aceitar o posto de próximo secretário geral da Casa Branca, anunciou na quarta-feira Steny Hoyer, um alto responsável democrata.

Se isto for conformado, será a primeira nomeação realizada por Barack Obama para sua futura administração.

O cargo de secretário-geral da Casa Branca é um dos mais importantes da administração americana.

jlr/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG