Imprensa dos EUA afirma que Obama rompeu última barreira racial do país

Washington, 5 nov (EFE).- Os mais importantes jornais dos Estados Unidos destacam hoje a ampla vitória obtida nas eleições pelo candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, que conseguiu romper a última barreira racial do país ao se tornar o primeiro negro a chegar à Presidência.

EFE |

Com a manchete "Obama vence eleições que fizeram história", o jornal "The Washington Post" disse que a "magnitude da vitória de Obama indica que o próprio país pode se encaminhar agora para um renascimento que alguns demoraram a reconhecer".

O "The Wall Street Journal", com uma manchete que ocupa quase toda a primeira página, diz que o "puro otimismo que emergiu durante a campanha de Obama abre caminho à realidade de uma crise econômica, duas guerras e a tarefa de formar uma nova administração".

"A mudança arrasa" foi a manchete principal do jornal "La Opinión", de Los Angeles, cujo artigo de primeira página destaca que Obama, de 47 anos, fez história ontem à noite ao ser eleito o primeiro presidente afro-americano dos EUA.

O jornal afirma que o pleito deu fim a dois anos de campanha eleitoral "que rompeu todo tipo de marcas e moldes, incluindo o que parecia improvável: um integrante de uma minoria étnica no Governo da Casa Branca".

"Obama rompe a barreira para se transformar no primeiro presidente negro", anunciou o jornal "The Arizona Republic", em Phoenix (Arizona), a cidade do candidato republicano à Presidência dos EUA, John McCain, derrotado por Obama.

"Barack Obama, o filho sereno e reflexivo nascido no Havaí de um homem do Quênia e de uma mulher do Kansas, cuja promessa de mudança inspirou uma geração jovem, quebrou a última barreira racial da política dos EUA para se transformar no primeiro afro-americano a ser eleito presidente", acrescentou.

Por sua parte o "The New York Times" afirmou que "a eleição de Obama rompeu a última barreira racial", e em artigo de primeira página assegurou que "a eleição representa uma catarse nacional, um repúdio a um presidente impopular e suas políticas econômicas e exteriores".

"Mas, (a vitória do candidato democrata) é também um assombroso momento histórico na evolução da conflituosa história, um avanço que teria parecido impensável há apenas dois anos", diz o "New York Times".

Com a manchete de seis colunas "Vitória histórica", o jornal "The Boston Globe" diz que "Obama foi eleito o 44º presidente dos EUA e o primeiro comandante-em-chefe negro do país, e que sua vitória abre uma era de profundo reajuste político e social na nação".

O jornal "El Nuevo Herald", de Miami (Flórida), destacou em seu artigo de primeira página que Obama "escreveu seu nome com tinta indelével na história americana na última terça ao se transformar no primeiro presidente negro do país com uma arrasadora vitória sobre John McCain, impulsionada por uma mensagem de renovação política e social".

O jornal "The Missoulian", de Montana, qualificou a eleição de Obama como um acontecimento para ser recordado por gerações.

"Obama arrasou em seu caminho para a vitória como o primeiro presidente negro do país com influência no Colégio Eleitoral que superou barreiras raciais tão velhas quanto o próprio país", destacou o veículo. EFE jab/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG