Imprensa do Oriente Médio dá boas-vindas a Obama e destaca seu discurso

Cairo, 6 nov (EFE).- A imprensa do Oriente Médio deu as boas-vindas, em suas edições de hoje, à vitória do democrata Barack Obama nas eleições presidenciais dos Estados Unidos e destacou seu discurso sobre a mudança e a paz.

EFE |

"Os EUA na era Obama preparam iniciativas para a região: revitalizar a paz, a retirada do Iraque e negociações com o Irã", disse na primeira página o jornal árabe "Al-Hayat", editado em Londres.

Os jornais reservaram um espaço destacado para Obama, superado apenas por alguns governamentais que deram mais importância às atividades de seus chefes de Estado, como os egípcios "Al-Jumhuriya" e "Al Ajbar", que destacam a inauguração pelo presidente Hosni Mubarak de uma exposição internacional de aeronáutica.

"Obama reescreve a história americana", diz o "Al-Ahram", de maior tiragem no Egito, enquanto o "Al Jumhiriya" destaca declarações do ministro de Exteriores egípcio, Ahmad Aboul Gheit, em que mostra esperança de que a nova administração americana coloque entre as prioridades as relações com os países do Oriente Médio.

Jornais opositores, como o "Al Dustur", não desperdiçaram a oportunidade de comparar com ironia a democracia americana e dizer: "Obama, o primeiro presidente negro na Casa Branca e o quinto presidente americano na era de Mubarak".

O jornal sírio "Tishrin", porta-voz oficial do regime, classifica a vitória de Obama de "sem precedentes" e mostra sua esperança de que o novo presidente inaugure uma nova etapa de diálogo afastado das políticas unilaterais da atual administração.

Além disso, a imprensa jordaniana ressalta que a vitória do candidato democrata coloque um ponto final à "distorção" da imagem dos EUA, considerada fruto das políticas do presidente George W.

Bush.

O "Arab al-Yom" afirma em seu editorial que "o mundo se sente aliviado após a eleição de Obama, que acaba com o Governo dos neoconservadores que inundaram o mundo de guerras, medo e crise e que estenderam o espírito de inimizade e ódio entre os povos".

Além disso, o jornal jordaniano pede aos países árabes que adotem uma postura otimista para lidar com "o desejo de mudança de Obama".

Na mesma linha, o também jordaniano "Al Dustur" destaca o desejo de mudança do presidente eleito "que ajudará a reparar o rosto dos EUA distorcido por Bush e a restaurar o respeito da legitimidade internacional". EFE ajm/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG