Pequim - O jornal Diário do Povo, porta-voz do Partido Comunista da China (PCCh), publica neste sábado um duro ataque contra o Dalai Lama, apesar de Pequim ter anunciado nesta sexta-feira sua disposição de se reunir com o líder espiritual tibetano no exílio.

    "Durante muitos anos, o Dalai Lama tentou derrubar o PCCh e subverter o sistema socialista para restaurar seu brutal feudalismo de servos", assinala o artigo.

    "O Budismo Tibetano é uma arma política com a qual espera dividir a mãe pátria", prossegue o jornal, que acusa "o entrono do dalai lama de divulgar o falso rumor" de que a China oprime o Tibete.

    Já o jornal "Diário do Tibete", porta-voz do PCCh no território autônomo, ridiculariza o Dalai Lama, de 73 anos, taxando de "hipócrita" sua atitude "misericordiosa, amável e não violenta".

    Ontem, a agência oficial "Xinhua" informou que um funcionário cujo nome não foi revelado anunciou que representantes do Governo central pretendem se encontrar com o líder tibetano "nos próximos dias", aparentemente como reação aos pedidos dos Estados Unidos e a Europa.

    No entanto, o funcionário assinalou que o objetivo dessa reunião, cuja data e condições não foram informadas, era pedir ao líder tibetano que parasse com suas "atividades separatistas", em uma tentativa de tranqüilizar a opinião internacional.

    Os analistas não esperam que o encontro entre representantes do dalai lama e do Governo chinês seja muito frutífero, e atribuem o anúncio de ontem a uma campanha de imagem de Pequim destinada a frear as críticas que está recebendo no mundo todo.

    Leia mais sobre: Olimpíada - China - Tibete - Dalai Lama

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.