um novo mundo - Mundo - iG" /

Imprensa britânica comemora nascimento de um novo mundo

Londres, 5 nov (EFE).- A imprensa britânica comemora hoje o nascimento de um novo mundo, com a contundente vitória do democrata Barack Obama nas eleições americanas.

EFE |

"O novo mundo: América elege Barack Obama", afirma o jornal "The Times", enquanto o tablóide "Daily Express" escreve: "Amanhece um novo mundo".

O tablóide "The Sun" traz a manchete: "Um salto gigante para a humanidade".

O jornal "The Independent" publica uma foto do rosto sorridente de Obama, que ocupa toda a primeira página e as palavras "O senhor presidente".

Em seu editorial, intitulado "Obama realiza o sonho", o "Times" afirma que "40 anos depois do assassinato de Martin Luther King, os Estados Unidos escolheram um presidente afro-americano" e acrescenta que "é um momento para aproveitar".

"A campanha presidencial de 2008 refutou a idéia estabelecida de que a política é uma empresa cínica. Isto não significa - acrescenta o jornal - ser ingênuos sobre as virtudes dos candidatos. Mas sim afirmar que o processo da democracia liberal (...) é algo que é preciso contemplar e valorar".

O direitista "The Sun" titula seu comentário "Um novo amanhecer para a América" e escreve que "hoje o mundo está realizando um dos maiores momentos que acontecerá neste século".

O "Sun", que apoiou e continua apoiando as guerras do Iraque e do Afeganistão, escreve que "mudar os Estados Unidos não será fácil", mas, acrescenta, "os antecedentes do presidente eleito podem ajudá-lo a construir pontes no Irã, Iraque e Oriente Médio".

O também conservador "The Daily Telegraph", escreve que, "depois do champanhe da campanha, chega a enxaqueca", e se refere à herança que Obama receberá do atual ocupante da Casa Branca: "uma economia em recessão, duas guerras inconclusas no estrangeiro e o prestígio dos EUA no chão".

"Os ataques de 11 de setembro deviam ter sido o momento-chave para que a América recuperasse sua autoridade moral, mas a Casa Branca de Bush e Cheney estragou tudo de modo imperdoável. O novo presidente não pode se permitir o mesmo erro", adverte o jornal.

O jornal "The Guardian", de centro-esquerda, destaca o fato de que a longa campanha eleitoral, com seu "cenário de guerra e recessão, reeducou milhões".

"Entre estes estão, escreve o jornal, os hispânicos e latino-americanos, tradicionalmente reticentes às eleições, que pelo simples fato de se registrarem aprenderam muito mais sobre seus direitos do que como dirigir um caucus ou votar a favor de uma proposta de lei". EFE jr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG