Imame iraniano pede que povo egípcio abra a fronteira com a Faixa de Gaza

Teerã, 9 jan (EFE).- O imame que pronunciou o sermão desta sexta em Teerã, o aiatolá Ahmad Khatami, pediu hoje que o povo egípcio atue para conseguir a abertura do posto fronteiriço de Rafah, entre o Egito e a Faixa de Gaza, afirma a agência iraniana Mehr.

EFE |

A partir do púlpito da universidade de Teerã, considerado a voz do regime iraniano, Khatami também pediu que as autoridades egípcias "separem seu destino do destino do regime sionista da ocupação".

"Vocês não são servos de Israel", declarou Khatami às autoridades egípcias.

A passagem fronteiriça de Rafah, entre Egito e Faixa de Gaza, permanece fechada desde junho de 2007 após o Hamas obter o controle de Gaza após vários dias de confrontos.

Desde então, este posto, o único que liga a Faixa a outro país que não seja Israel, foi aberto em poucas oportunidades.

O líder religioso também chamou "alguns muftis egípcios" de "traidores que vendem sua religião" por considerarem, segundo Khatami, que o que está acontecendo na Faixa de Gaza não é um crime.

Durante seu discurso também criticou as organizações internacionais e islâmicas por seu suposto silêncio ante os fatos de Gaza.

"Caso existisse justiça no mundo, agora enforcariam em público as autoridades israelenses pelos crimes que cometem em Gaza", declarou Khatami.

As relações entre Teerã e Egito se deterioraram recentemente, após o regime iraniano permitir várias manifestações na capital iraniana contra o regime egípcio, ao qual criticam de ter abandonado o povo palestino. EFE msh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG