Imagens mostram que Pyongyang levou foguete para plataforma de lançamento

O anúncio norte-coreano, no dia 16 de março, que deve lançar um satélite de vigilância terrestre levantou os protestos de países como Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão

EFE |

Várias imagens recolhidas por satélites de vigilância apontam que a Coreia do Norte teria transportado para o noroeste do país a parte principal do foguete que será utilizado para o lançamento de um satélite de observação em abril, informou neste domingo a agência japonesa de notícias "Kyodo".

Segundo a "Kyodo", que cita fontes diplomáticas em Seul, a peça foi transportada de trem até o ponto de lançamento em Tongchang-ri, ao norte da província de Phyongan.

O anúncio norte-coreano, no dia 16 de março, que deve lançar um satélite de vigilância terrestre levantou os protestos de países como Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão, que o consideram um teste encoberto de um míssil balístico.

Sexta-feira, o Ministério de Relações Exteriores norte-coreano anunciou que os preparativos para o lançamento do satélite de observação estão em "plena fase de ação".

No entanto, o foguete ainda tem que ser colocado na plataforma de lançamento e ser montado dentro das instalações de Tongchang-ri, segundo as fontes consultadas pela "Kyodo".

O regime de Pyongyang tem intenção de lançar o satélite Kwangmyongsong-3 entre os dias 12 e 16 de abril, como um dos atos para comemorar o centenário do nascimento do fundador do país, Kim Il-sung, a partir de uma área junto ao Mar Amarelo próxima à fronteira com a China.

Coreia do Sul, EUA e Japão advertiram que, se o lançamento for realizado, representaria uma violação da resolução adotada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas em 2009, que estabelece sanções para evitar que o regime comunista faça testes de mísseis balísticos.

Perante estas circunstâncias, o Japão anunciou que desdobrará seu sistema antimísseis em Okinawa (no sul do arquipélago) para a eventual intercepção do projétil norte-coreano em caso de este ameaçar cair sobre o país.

    Leia tudo sobre: japãofoguetenorte-coreano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG