O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentou evitar comentar o escândalo envolvendo o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, acusado de ser o principal articulador de um esquema de corrupção envolvendo integrantes de seu governo, empresas com contratos públicos e deputados distritais. Lula negou que tenha assistido a vídeos divulgados no domingo e que mostram pessoas ligadas a Arruda recebendo dinheiro, mas disse que a imagem não fala por si.

"O que fala por si é todo um processo de investigação, todo um processo de apuração. Quando estiver toda a apuração terminada, a Polícia Federal vai ter que apresentar um resultado final", afirmou Lula, antes de deixar a capital portuguesa, onde participou da Cúpula Ibero-americana, rumo a Kiev, na Ucrânia.

"Aí você pode fazer juízo de valores. Mesmo assim, quem vai fazer juízo de valores final é a Justiça. O presidente da República não pode ficar dando palpite, vamos aguardar sobre o que vai sair."
Imagens divulgadas no domingo mostram auxiliares de Arruda colocando dinheiro nas meias e depois rezando. Mais um vídeo mostra outro auxiliar colocando dinheiro na cueca.

O presidente afirmou que a questão está fora das suas atribuições: "Eu não estou acompanhando porque está na esfera da Polícia Federal. Se está na esfera da Polícia Federal, o presidente da República espera a apuração para depois falar alguma coisa".

Reforma política
A respeito da possibilidade de o dinheiro ser utilizado para financiar a campanha eleitoral, Lula lembrou suas propostas de reforma política:
"Eu tenho duas propostas que já mandei para o Congresso Nacional, duas mini-reformas políticas."
Ele lembrou que a votação de uma delas será feita em janeiro. "Espero que o Congresso Nacional tenha a maturidade para compreender que grande parte dos problemas que acontecem com dinheiro tem a questão da estruturação partidária como razão. Então, vamos mudar urgentemente e fazer a reforma política. A reforma política é condição fundamental para a gente evitar que problemas como esse continuem a ocorrer".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.