Imã Feisal Abdul Rauf disse querer solução para acabar com polêmica criada pelo plano que prevê mesquita próxima ao Marco Zero

O imã Feisal Abdul Rauf, idealizador do centro islâmico em Nova York, disse nesta segunda-feira que procura uma solução adequada para acabar com a polêmica criada por seu plano de construir um centro islâmico próximo ao Marco Zero, para transmitir uma mensagem que estimule a moderação nas relações do Ocidente com o mundo muçulmano.

O imã Feisal Abdul Rauf discursou nesta segunda-feira ao Council on Foreign Relations, em Nova York
AFP
O imã Feisal Abdul Rauf discursou nesta segunda-feira ao Council on Foreign Relations, em Nova York
"Estamos explorando todas as opções e trabalhamos em uma solução que, se Deus quiser, diluirá esta crise", explicou o imã no Conselho de Relações Exteriores, onde destacou que a polêmica pode se transformar em "oportunidade", pois "o mundo está atento ao que fazemos aqui”.

Diretor do centro Cordoba Initiative, Rauf disse que não teria concebido o projeto dessa forma se soubesse a polêmica que seria causada a partir dele. Rauf lembrou, porém, que o centro pretende "ser um lugar para que todas as crenças confluam em respeito mútuo”.

Manter o projeto como está planejado suscita grande oposição, já que muitos consideram ofensivo a construção de uma mesquita próximo ao local onde ocorreu o principal ataque do 11 de Setembro.

Pesquisa

De acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira pela Quinnipiac University, 63% dos eleitores americanos registrados acreditam ser errado construir uma mesquita tão perto do que consideram um local sagrado.

No sábado, nono aniversário do 11 de Setembro, cerca de 2 mil pessoas se reuniram perto do local onde o centro deverá ser construído para defender ou protestar contra o projeto.

Em seu discurso nesta segunda, ao grupo Council on Foreign Relations, Rauf perguntou retoricamente se o centro "merecia toda essa pirotecnia" e respondeu "categoricamente sim".

*Com EFE e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.