A ilha francesa de Mayotte, no oceano Índico, decidiu neste domingo adquirir o status de departamento e se aproximar mais da França, apesar da oposição de Comores, em um referendo que pode acabar com tradições locais como os tribunais islâmicos e a poligamia.

Com 58,3% dos votos contados, o 'sim' vencia com 94,1% das preferências, contra apenas 4,6% do 'não', anunciou a prefeitura de Mayotte, informando que a taxa de participação na consulta popular foi de 60,81%.

Os eleitores foram convocados para escolher se Mayotte se tornará o 101º departamento francês (o quinto departamento ultramarino) a partir de 2011, na última etapa do processo iniciado em 1974, quando os habitantes da ilha decidiram continuar franceses, enquanto as três outras ilhas do arquipélago de Comores optaram pela independência.

O governo de Comores, com o apoio da União Africana (UA), considerou o referendo "em um território ocupado" como "nulo e sem valor". Em vão, o arquipélago vinha pedindo a Paris que renunciasse à soberania de Mayotte, que afasta ainda mais o projeto camorense de "reunificação" das ilhas, que ficam no oceano Índico.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, expressou sua "satisfação" com o triunfo do 'sim', que considerou "um momento histórico para Mayotte e os mayotenses".

Se confirmada a vitória do 'sim', algumas tradições da população local, como a poligamia a justiça islâmica, podem ser extintos.

rh-fal/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.