Ike segue enfraquecido depois de atingir Texas

Por Chris Baltimore HOUSTON (Reuters) - Enfraquecido, o Ike seguia rumo ao norte neste domingo depois de passar sobre a costa do Texas como um forte furacão de categoria 2, inundando cidades litorâneas, cortando a energia de milhões e paralisando a exploração de petróleo em Houston.

Reuters |

A gigantesca tempestade deixou um rastro de destruição e as autoridades mal começaram a avaliar as perdas, que estimativas preliminares levam à casa dos bilhões.

O Ike, que vagueou por um quarto da produção e refino de óleo cru dos Estados Unidos, alagou a cidade-ilha de Galveston e afetou Houston, a quarta cidade mais populosa do país.

O furacão arrebentou as janelas de arranha-céus, cobrindo as ruas de vidro e destroços, destruiu abrigos de ônibus e arrancou placas de aço de edifícios.

'Esse furacão causou devastação em áreas do Texas e da Louisiana', disse David Paulison, da agência federal de controle de emergências.

Segundo estimativa prévia de danos de um modelo de computador do setor de seguros, o Ike pode levar a pedidos de indenização de 8 bilhões e 18 bilhões de dólares. Autoridades federais e estaduais, incluindo o secretário de segurança nacional Michael Chertoff, devem visitar áreas atingidas neste domingo.

Cerca de dois milhões de pessoas deixaram suas casas antes do Ike atingir a terra no início do sábado. As autoridades instaram os residentes a continuar longe do local, mas muitos retornaram para avaliar os danos, apesar da queda de energia generalizada e da falta de combustível.

A tempestade diminuiu para uma depressão tropical no início deste domingo enquanto atravessava o oeste do Arkansas, rumando para o norte em uma trajetória que deve trazer chuvas pesadas sobre uma vasta área que se estende até o Canadá.

Em Houston, onde a gasolina barata fez do carro um rei, longas filas se formavam nos postos. Chertoff diz que pelo menos 940 pessoas foram resgatadas até agora, mas não tinha confirmação de quaisquer mortes relacionadas à tempestade.

Em Galveston, onde a tempestade chegou à praia, barcos foram arrastados para fora da água e atirados na única estrada de ligação com a terra juntamente com outros destroços, tornando-a intransitável. Mas o Houston Ship Channel, vital para a circulação local, não foi atingido tão duramente quanto se esperava pela tempestade, que poderia ter causado danos muito maiores e alagado refinarias.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG