Ike se aproxima de Havana depois de deixar quatro mortos em Cuba

O furacão Ike se aproxima nesta terça-feira de Havana em sua passagem por Cuba rumo ao Golfo do México, com fortes ventos e chuvas, depois de provocar quatro mortes na ilha, além de mais dois milhões de evacuados e uma grande devastação.

AFP |

Ike, que matou 66 pessoas no Haiti, avança pela costa sul-ocidental de Cuba com ventos de 130 km/h, categoria um (de um máximo de 5), rumo a um ponto entre as províncias de Havana e Pinar del Río.

Antes de entrar nas águas do Golfo do México na tarde de terça-feira, o Ike afeta o ocidente cubano. Somente na capital - de 2,2 milhões de habitantes -, 170.000 pessoas foram evacuadas.

Sacudida desde a madrugada pelas rajadas do Ike, Havana está paralisada, com algumas áreas sem energia elétrica.

Às 6H00 GMT (3H00 de Brasília), o olho do Ike estava 150 km ao sudeste de Havana, segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos, que advertiu que o furacão pode recuperar força quando entrar no Golfo do México.

Cuba está em alerta máximo pela passagem do fenômeno.

Quatro pessoas morreram em Cuba, segundo um balanço preliminar, mas em sua passagem pelo país o furacão destruiu casas, edifícios, derrubou árvores e postes, além de ter devastado áreas de plantação.

mis/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG