Uma enorme operação de resgate e limpeza estava em curso neste domingo no Texas, após a passagem do furacão Ike, agora uma tempestade tropical, que espalhou devastação sobre uma faixa costeira de 800 km de comprimento, mas ao que tudo indica não fez vítimas fatais.

Mais de 24 horas depois do olho do furacão ter alcançado a estação balneária de Galveston, as autoridades ainda não apresentaram nenhum balanço de vítimas.

"O pior cenário que havia sido projetado em algumas áreas não aconteceu", declarou o governador do Texas, Rick Perry, que anunciou "a maior operação de socorro e busca de toda a história do estado".

O secretário de Segurança Interna, Michael Chertoff, citou alguns mortos no sábado e disse que o balanço poderia aumentar nas próximas horas, particularmente entre as pessoas que não abandonaram a região.

Os ventos que acompanharam a passagem do furacão destruíram centenas de edifícios e a água arrastou muitos veículos. Helicópteros sobrevoaram a faixa costeira e as equipes de emergência observaram zonas urbanas totalmente inundadas.

Um total 2,2 milhões de pessoas abandonaram o Texas e mais de 130.000 o estado vizinho da Louisiana. Porém, apesar da ordem de evacuação, mais de 100.000 habitantes permaneceram dentro de casa, e alguns se arrependeram não ter obedecido a ordem.

O jornal Houston Chronicle informou que os socorristas evacuaram quase mil pessoas em áreas afetadas e temem encontrar mortos quando tiverem acesso às zonas isoladas desde a passagem do furacão.

Galveston, pequena cidade balneária situada em uma ilha entre uma lagoa e o Golfo do México, com 58.000 habitantes, foi afetada por ventos de mais de 200 km/h e permanece sem energia elétrica.

O fenômeno natural deixou cenas de desolação, com postes e palmeiras no chão, cabos elétricos destruídos, semáforos pendurados, vidros quebrados, tetos arrancados, barcos em terra firme.

Perto da praia, três restaurantes sobre pilotis foram totalmente destruídos.

Neste domingo, o Ike deixou o Texas e seguia em direção ao norte, ao longo do vale do Mississippi, acompanhado por tempestades. O furacão, de categoria 2 quando chegou às costas, foi rebaixado para tempestada tropical.

O furacão também levou destruição às ruas de Houston, quarta maior cidade do país, situada a 70 km da costa. Um toque de recolher à noite foi decretado para toda a semana para evitar saques.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, muito criticado em 2005 pela reação demorada à passagem devastadora do furacão Katrina pela cidade de Nova Orleans, anunciou neste domingo que vai viajar na terça-feira ao Texas.

"Irei ao Texas na terça para expressar o apoio do governo federal. Para expressar por um lado a solidariedade e por outro respaldo aos esforços de reconstrução", disse Bush após uma reunião com altos funcionários dos departamentos de Segurança e Emergência.

"O governo federal vai fornecer 1,5 milhão de litros de água e um milhão de alimentações diárias para ajudar as pessoas desabrigadas", acrescentou.

O furacão pode ter provocado danos de entre oito e 18 bilhões de dólares, segundo a empresa privada Eqecat.

As refinarias de petróleo da região de Houston permanecerão fechadas durante oito a nove dias, depois da passagem do furacão Ike, anunciou a senadora Kay Bailey Hutchison, do Texas.

bar/fp/nh/

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.