Igrejas cristãs viram alvo de ataques na Malásia

KUALA LUMPUR - Uma igreja próxima a Kuala Lumpur foi atacada neste sábado com uma bomba incendiária, o que fez subir para quatro o número de templos cristãos da Malásia alvejados por ações semelhantes em menos de 48 horas.

EFE |

Segundo as autoridades, os ataques estão sendo motivados por uma decisão judicial que permite que não muçulmanos utilizem a palavra "Alá" para se referir a Deus.

A igreja luterana do Bom Samaritano, localizada nos arredores da capital do país, foi o mais recente alvo da série de ataques.

O bispo da diocese local, Philip Loke, disse à imprensa que, nesta madrugada, uma bomba incendiária foi jogada contra uma parede da igreja. O artefato não causou nenhum dano ao templo, a não ser uma mancha preta de queimado.

Ontem, uma igreja protestante pegou fogo e outras duas sofreram danos depois de serem atingidas por coquetéis molotov. Ninguém ficou ferido.

O primeiro-ministro da Malásia, Najhib Razak, disse na noite de sexta-feira que deu ordens à Polícia para que ponha fim aos ataques às igrejas, os quais, acrescentou, colocam em risco a "harmonia racial".

Após as orações de ontem, milhares de pessoas se reuniram em frente à maior mesquita de Kuala Lumpur para pedir que os não muçulmanos sejam proibidos de usar a palavra "Alá".

Os incidentes começaram depois que, na semana passada, a Suprema Corte da Malásia anulou a decisão do governo que vetava a utilização do termo "Alá" por não islamitas.

Leia mais sobre Malásia

    Leia tudo sobre: malásia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG