Igreja Anglicana rejeita consagração de mulheres bispos

Como consequência, anglicanos podem enfrentar deserção de seus fiéis para o catolicismo

iG São Paulo |

O arcebispo de Canterbury, líder da Igreja Anglicana, Rowan Williams, não conseguiu a aprovação para sua proposta de autorizar a consagração de mulheres bispos na Inglaterra, apesar das concessões de última hora destinadas a evitar uma nova crise.

A proposta de compromisso, revelada por Rowan Williams e seu número 2 no seio da Igreja anglicana da Inglaterra, o arcebispo John Sentamu, pouco antes da abertura no sábado de um sínodo geral de nove dias, não convenceu os refratários.

Na noite de sábado, receberam o acordo de dois de três grupos que constituem o sínodo geral, que tem 467 membros no total. Assim, a casa dos bispos e a casa dos leigos votaram a favor, enquanto a casa do clero votou contra, fazendo com que a reforma fosse rejeitada.

Os bispos tinham proposto um dispositivo que permitisse partilhar os papéis e as responsabilidades entre um bispo mulher e um bispo homem para superar as reticências. Desde 2003, a Igreja episcopal escocesa autoriza as mulheres a ser bispos, mas até agora nenhuma chegou a essa função.

A Igreja galesa se pronunciou contra esse projeto em abril de 2008. Depois do voto desfavorável na Inglaterra, o arcebispo de Canterbury insistiu em que não se tratava de um questionamento de seu papel enquanto líder da Igreja anglicana.

Perda de fiéis

A Igreja Anglicana pode enfrentar uma deserção de seus fiéis para o catolicismo, depois que seu sínodo votou contra a proposta que pretendia conciliar as reservas dos bispos mais conservadores à ordenação de mulheres.

O fracasso da proposta, que pretendia conciliar as diferentes posturas sobre a ordenação de mulheres, causa temores de uma deserção em massa para a Igreja Católica Apostólica Romana depois que mulheres bispas começarem a ser consagradas em 2014.

Segundo o jornal "Sunday Times", a derrota na votação foi uma "humilhação" para Rowan Williams, que apresentou uma moção junto com o arcebispo de York, John Sentamu, para tentar evitar o desacordo.

Diante da oposição gerada em alguns setores anglicanos à ordenação de mulheres, Williams e Sentamu, favoráveis a ela, propuseram um sistema que permitiria que bispos homens se ocupassem das necessidades dos clérigos contrários à ordenação de mulheres.

A iniciativa, definida pela cúpula como "uma Igreja dentro da Igreja", foi criticada por setores progressistas, pois criaria uma jurisdição paralela e menosprezaria a autoridade das futuras bispas. Por outra parte, segundo o jornal, o Parlamento informou que não aprovaria nenhuma iniciativa eclesiástica que transformasse as bispas em uma "segunda classe".

O "Sunday Telegraph" informou que a derrota garante o sucesso do ordinariato anglicano, auspiciado pelo papa Bento 16 para facilitar a conversão de anglicanos.

*Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: igreja anglocanabisposigreja católicavaticano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG