Sanaa, 23 mar (EFE).- A Justiça do Iêmen condenou hoje um cidadão deste país à pena de morte e outros dois à prisão por considerá-los culpados de espionagem para Israel.

Basam al Haidari foi condenado à pena de morte, enquanto Ali Abdallah Saleh al Mahfa recebeu uma pena de cinco anos de prisão e Emad al Remi foi condenado a passar três anos preso.

No julgamento, que começou em 10 de janeiro na capital iemenita, a Procuradoria Geral os acusara de espionar para Israel e de tentar prejudicar as relações políticas e diplomáticas do país.

"As evidências apresentadas pela Procuradoria Geral foram suficientes para condenar os acusados", declarou o presidente do tribunal, Mohsen Alwan.

Após escutar ao juiz, os três condenados, com idades entre 23 e 26 anos, começaram a gritar que as penas eram injustas e disseram que apelarão.

Os acusados foram detidos em outubro por suspeita de relação com a facção Jihad Islâmica, e, segundo a procuradoria, mantiveram contato pela internet com o escritório do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, para oferecer seus serviços aos aparelhos de segurança e inteligência de Israel. EFE ja/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.