Iemenita condenado a morte por contato com primeiro-ministro de Israel

Um iemenita acusado de ter enviado uma mensagem eletrônica ao primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, foi condenado a morte nesta segunda-feira.

AFP |

Basam al-Haidari, 26 anos, foi condenado à pena capital, enquanto Imad al-Rimi, 23, e Abdala al-Mahfal, 24, foram condenados a cinco e três anos de prisão, respectivamente.

Eles foram julgados por "contato com um país inimigo".

"Isto é injusto, vocês me condenaram sem ter qualquer prova das acusações", declarou Al-Mahfal. Os três acusados pretendem recorrer da decisão.

Segundo a acusação, "Basam al-Haidari tomou a iniciativa de enviar uma mensagem eletrônica de seu e-mail pessoa ao primeiro-ministro da entidade sionista na qual escreveu: 'Somos a Organização da Jihad Islâmica e vocês são judeus. Porém, vocês são honestos e estamos dispostos a fazer qualquer coisa".

A acusação afirma ainda que Basam al-Haidari, conhecido como Abu Ghaith, "recebeu uma resposta do primeiro-ministro da entidade sionista na qual ele escreveu: 'Estamos dispostos a ajudá-los'".

str/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG