Iêmen rejeita plano dos EUA de enviar iemenitas em Guantánamo à A. Saudita

Sana, 24 jan (EFE).- O presidente do Iêmen, Ali Abdulah Saleh, anunciou hoje que o país recusou uma proposta dos Estados Unidos para enviar à Arábia Saudita 94 iemenitas que estão na prisão de Guantánamo.

EFE |

Em discurso em uma conferência de chefes policiais em Sana, Saleh disse que a proposta foi feita pelo ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush.

A proposta americana estipulava que os 94 detidos, de acordo com o líder iemenita, fossem extraditados pelos Estados Unidos à Arábia Saudita "para participar de um programa de reabilitação", antes de serem enviados definitivamente de volta ao país de origem.

Saleh acrescentou que, segundo esta mesma oferta, os iemenitas que estão em Guantánamo seriam libertados em um período de entre 60 e 90 dias.

"Recusamos a proposta e dissemos que nós construiremos um centro de reabilitação, para que os que retornarem possam ser reeducados e reneguem o extremismo e o fanatismo", acrescentou o presidente.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou na quinta-feira o fechamento da prisão de Guantánamo dentro de um ano.

No mesmo dia, o Governo do Iêmen anunciou que tinha começado a construção de um centro de reabilitação para abrigar os presos iemenitas que se encontram retidos em Guantánamo.

Na prisão, situada na base militar que os Estados Unidos têm no extremo sudeste de Cuba, há cerca de 250 pessoas que foram detidas como parte da luta mundial da Casa Branca contra o terrorismo, após os atentados de 2001. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG