Iêmen mata 11 rebeldes, mas vídeo mostra soldados capturados

SANAA (Reuters) - O Iêmen afirmou nesta quinta-feira que matou 11 rebeldes em combate no norte do país, mas os insurgentes disponibilizaram na Internet imagens do que parecem ser dezenas de soldados do governo capturados. No mês passado, uma nova disputa se iniciou entre muçulmanos xiitas Zaydi na região montanhosa de Saad, fronteira com Arábia Saudita, e o governo central em Sanaa. Os primeiros conflito irromperam em 2004.

Reuters |

Na quarta-feira, os rebeldes que lutam no norte do país da península arábica alertaram para uma "longa guerra" após o governo rejeitar uma trégua.

Um porta-voz militar afirmou que forças do governo tomaram controle de cinco esconderijos rebeldes e "destruíram diversos locais onde os rebeldes e terroristas estavam".

Os rebeldes, liderados por Abdul-Malik al-Houthi, publicaram imagens em seu site de dezenas do que eles afirmam serem soldados do governo sendo levados para fora da região de Maran. Outras imagens mostravam soldados se rendendo e um tanque em chamas.

Informações sobre a guerra têm sido de difícil verificação uma vez que as províncias do norte estão fechadas à mídia.

Mais de 100.000 pessoas, muitos deles crianças, abandonaram suas casas durante o repentino início do conflito, afirmou uma agência da ONU no mês passado, e grupos de ajuda reclamaram de pouco acesso à zona de guerra.

Os rebeldes acusam a Arábia Saudita de ajudar o governo, e o governo vê ajuda iraniana por trás dos rebeldes.

O governo afirma que os rebeldes desejam restaurar um Estado xiita derrubado na década de 1960.

Os rebeldes dizem querer mais autonomia, incluindo escolas Zaydi em sua região. Eles se opõem à disseminação do fundamentalismo sunita influenciado pelos sauditas e acusam o governo de bombardear vilas indiscriminadamente.

(Reportagem de Mohamed Sudam)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG