Iêmen diz que mais de 30 militantes da Al Qaeda foram mortos

Por Mohamed Sudam SANAA (Reuters) - Um ataque aéreo do Iêmen pode ter matado dois importantes líderes regionais da Al Qaeda e um muçulmano americano que teria participação na morte de 13 pessoas em uma base do exército dos Estados Unidos, segundo uma autoridade do país.

Reuters |

Acredita-se que Nasser al-Wahayshi, líder da Al Qaeda na Península Arábica, e seu vice, Saeed al-Shehri, estejam entre os mais de 30 militantes mortos em uma operação na província de Shabwa, disse o oficial, que pediu para não ser identificado.

O muçulmano Anwar al-Awlaki, nascido nos EUA, também pode ter morrido durante o ataque aéreo que tinha como objetivo atingir militantes que estariam planejando ataques no Iêmen e em alvos de petróleo no exterior, disse ele.

Se todas as mortes forem confirmadas, o ataque representará uma grande baixa para a Al Qaeda na Península Arábica. A unidade é vista como o braço regional mais perigoso da rede de Osama bin Laden.

Os EUA cooperam com os esforços do Iêmen para combater a militância da Al Qaeda. Autoridades do Pentágono não foram imediatamente localizadas para comentar qualquer eventual participação das forças dos EUA no ataque aéreo.

O oficial do Iêmen mencionou apenas um ataque aéreo, que o site do governo diz ter ocorrido às 5h da manhã, pelo horário local. Mas a rede de televisão local Al Arabiya reportou quatro ataques.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG