Iêmen diz que Al Qaeda captou terrorista nigeriano em Londres

Sana, 7 jan (EFE).- O Governo iemenita disse hoje que o jovem nigeriano que tentou atacar com uma bomba a bordo um avião com destino aos Estados Unidos no dia de Natal foi captado pela Al Qaeda em Londres, e não em território do Iêmen, informou a agência oficial Saba.

EFE |

Em entrevista coletiva, o vice-ministro da Defesa e Segurança iemenita, Rashad al-Alimi, disse que, segundo as investigações de seu país o jovem Umar Farouk Abdulmutallab entrou em contato com a Al Qaeda durante suas visitas à capital britânica.

Além disso, citando as investigações realizadas na Holanda - onde embarcou rumo a Detroit (EUA) - Alimi disse que Abdulmutallab "provavelmente tinha conseguido os explosivos na Nigéria antes de chegar ao aeroporto de Amsterdã", segundo a "Saba".

O braço na península arábica da rede terrorista Al Qaeda assumiu a autoria do atentado frustrado do dia de Natal, e o próprio presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ratificou esta responsabilidade.

Além disso, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, considerou que a instabilidade no Iêmen é uma ameaça para a segurança global, devido à grande presença do grupo terrorista liderado por Osama bin Laden no país.

O vice-ministro da Defesa iemenita disse também que as forças de segurança do Iêmen frustraram vários ataques da Al Qaeda contra alvos estrangeiros, incluindo a Embaixada do Reino Unido em Sana, segundo a "Saba".

As embaixadas do Reino Unido e EUA fecharam no domingo devido a um alerta de ataque terrorista. Em seguida, as da França e do Japão encerraram suas portas, além das delegações da Alemanha e Espanha, que fecharam parcialmente. Todas voltaram parcialmente à normalidade, após permanecer dois dias fechadas.

"As forças de segurança apreenderam grande quantidade de munição e coletes explosivos do mesmo tipo usado contra o ministro do Interior saudita em agosto", disse o vice-ministro iemenita, ao falar da luta contra o terrorismo realizada por seu país.

Acrescentou que, desde 1992, houve 61 ataques terroristas contra "alvos vitais, embaixadas estrangeiras e oficiais de segurança, que mataram um número indeterminado de pessoas".

Nas últimas semanas, o Exército iemenita intensificou sua ofensiva contra a Al Qaeda no país, realizando vários ataques aéreos contra supostos esconderijos dos terroristas, que mataram mais de 50 pessoas. EFE jrg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG