Sana, 25 dez (EFE).- O Iêmen mostrou hoje sua profunda frustração com a decisão das autoridades dos Estados Unidos de apelar de uma recente sentença de absolvição de dois religiosos iemenitas presos por terrorismo na prisão americana de Guantánamo, em Cuba.

"Esta apelação não se ajusta à natureza das relações entre ambos os países (EUA e Iêmen) nem aos esforços comuns para combater o terrorismo", disse uma fonte do Ministério de Exteriores iemenita.

A fonte se referia à apelação das autoridades dos EUA contra uma sentença emitida por um tribunal de Nova York a favor do imame Mohammed al-Moayad e seu assistente Mohammed Zayed.

Estes dois religiosos iemenitas tinham sido detidos na Alemanha em 2003 e levados aos EUA, onde, em 2005, Moayad foi condenado a 75 anos de prisão e Zayed a 45 por contribuir ao financiamento da rede terrorista Al Qaeda.

O tribunal de Nova York, no entanto, considerou que não havia evidências para acusá-los, e declarou que era inaceitável que os dois clérigos, que estão confinados em Guantánamo, continuem presos.

EFE ja/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.