Iêmen critica decisão dos EUA de recorrer de absolvição de 2 religiosos

Sana, 25 dez (EFE).- O Iêmen mostrou hoje sua profunda frustração com a decisão das autoridades dos Estados Unidos de apelar de uma recente sentença de absolvição de dois religiosos iemenitas presos por terrorismo na prisão americana de Guantánamo, em Cuba.

EFE |

"Esta apelação não se ajusta à natureza das relações entre ambos os países (EUA e Iêmen) nem aos esforços comuns para combater o terrorismo", disse uma fonte do Ministério de Exteriores iemenita.

A fonte se referia à apelação das autoridades dos EUA contra uma sentença emitida por um tribunal de Nova York a favor do imame Mohammed al-Moayad e seu assistente Mohammed Zayed.

Estes dois religiosos iemenitas tinham sido detidos na Alemanha em 2003 e levados aos EUA, onde, em 2005, Moayad foi condenado a 75 anos de prisão e Zayed a 45 por contribuir ao financiamento da rede terrorista Al Qaeda.

O tribunal de Nova York, no entanto, considerou que não havia evidências para acusá-los, e declarou que era inaceitável que os dois clérigos, que estão confinados em Guantánamo, continuem presos.

EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG