Idosos que tiveram namoro proibido se casam na Bolívia

Um casal de idosos proibido de manter seu relacionamento em um asilo de La Paz, na Bolívia, finalmente se casou na quarta-feira. Irma Rodríguez, de 73 anos, e Jorge Carillo, 63, tiveram que deixar o asilo onde viviam, o San Ramón, por terem iniciado o namoro - o que é contra as regras da instituição.

BBC Brasil |

Depois de dois anos e meio de namoro, uma funcionária do asilo os surpreendeu se beijando e a administração impôs que eles não se falassem mais.

Em maio, o casal decidiu sair do asilo e, uma vez fora da residência, o casal passou de alojamento a alojamento em La Paz tentando encontrar um endereço fixo, com as poucas economias que tinham.

Eles chegaram a viver em Cochabamba, mas, sem dinheiro, tiveram que voltar para La Paz, onde se separaram. Irma conseguiu um lugar em um asilo feminino e Jorge voltou a viver com a família, mas o casal não tinha o dinheiro necessário sequer para se telefonar.

Mas, depois que sua história foi divulgada pela BBC e outros órgãos da imprensa local, as portas começaram a se abrir para o casal - que teve o casamento transmitido pela televisão boliviana e com apoio de patrocinadores.

Moradia
A prefeitura de La Paz começou a facilitar a vida de Irma e Jorge ao fornecer para o casal uma residência independente no terceiro andar de um asilo para idosos.

Depois os apresentadores da rede de televisão boliviana Carlos Monroy e Elvia Moya se ofereceram para ser padrinhos de casamento. Uma confeitaria doou o bolo, uma joalheria, as alianças, uma alfaiataria, o vestido de noiva e um cabeleireiro, os cortes de cabelo para os noivos.

Em meio aos preparativos para o casamento, enquanto estavam no cabeleireiro, Irma e Jorge deram entrevista à BBC.

"Irma é um ser com que Deus me presenteou", afirmou Jorge enquanto falava sobre os obstáculos para o namoro dos dois.

Mesmo a poucas horas do casamento, Irma e Jorge viveram separados, pois não tinham conseguido um asilo que os aceitasse juntos.

Bem-humorada, Irma afirmou que, mesmo assim, conseguiria escapar do asilo para ir ver Jorge.

Festa concorrida
Finalmente a solução chegou com o casamento. Mais de 300 pessoas compareceram à cerimônia que ocorreu na igreja de Santo Domingo no início da tarde de quarta-feira, segundo o jornal boliviano La Razón
"Estou feliz, é o dia mais feliz da minha vida", disse Irma ao jornal.

Antes do casamento, Jorge disse à BBC que gostaria que "o que nos aconteceu sirva de exemplo para que os outros idosos possam ser felizes. Não se pode proibir (o namoro entre idosos)".

Jorge também aproveitou a ocasião para enviar uma mensagem para as freiras do asilo em que os dois viviam e que tiveram que abandonar depois de ter o relacionamento proibido pelas religiosas.

"Elas, que são religiosas, que se emocionem (com a história), que não sejam hipócritas diante de Deus", afirmou.

Daqui para frente, a alimentação de Irma e Jorge será por conta do novo asilo deles, o Quevedo, e os gastos pessoais dos dois serão pagos com o chamado Salário Dignidade, uma renda mensal de cerca de 200 bolivianos (aproximadamente R$ 54) paga pelo governo aos idosos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG