Uma pessoa morreu e outras três ficaram feridas quando um idoso abriu fogo em um centro cristão frequentado por coreanos na Califórnia (oeste dos EUA) antes de ser detido, anunciaram as autoridades nesta quarta-feira.

O drama aconteceu na noite de terça-feira no "Kkottongnae Retreat Camp", um centro religioso cristão situado perto de Temecula (130 km ao sudeste de Los Angeles) e administrado pela Congregação das Irmãs de Jesus, destacou à AFP uma porta-voz policial.

O agressor, um asiático de 72 anos, começou a atirar, por um motivo desconhecido, às 19H30 (23H30 de Brasília) de terça-feira, matando uma mulher e ferindo outra pessoa, segundo a porta-voz Herlinda Valenzuela, do escritório do xerife do condado de Riverside.

"Outras duas pessoas se atracaram com o agressor e foram feridas", destacou Valenzuela. O atirador foi detido e está hospitalizado, acrescentou.

O tiroteio aconteceu algumas horas depois de um outro homem ter matado sua esposa, sua filha e outras duas pessoas no Alabama (sudeste dos EUA), antes de se suicidar. De acordo com a imprensa local, o assassino, Kevin Garner, 45 anos, estava em processo de divórcio.

O ataque desta quarta-feira é o último de uma longa série de massacres ligados em maioria à crise econômica que atinge duramente os Estados Unidos, provocando a disparada do desemprego.

Sexta-feira passada, Jiverly Wong, um homem de origem vietnamita de 41 anos e desempregado, matou 13 pessoas em um centro de ajuda aos imigrantes do estado de Nova York (nordeste dos EUA), suicidando-se em seguida.

bur/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.