Identificados jornalistas australiano e canadense seqüestrados na Somália

Mogadíscio, 24 ago (EFE) - O australiano Nigel Brenan e a canadense Amanda Lindhout são os dois jornalistas estrangeiros seqüestrados no sábado perto de Mogadíscio, junto com um repórter somali e o motorista que os levava, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

Um recepcionista do hotel Shamo, onde estavam hospedados, confirmou à Agência Efe que, além de Brenan e Lindhout, os seqüestradores também capturaram um repórter local que os ajudava, Abdifatah Mohammed Elmi, e ao motorista, Mahad.

Os dois tinham ido aos campos de deslocados internos de Hawa Abdi, cerca de 20 quilômetros de Mogadíscio, e foram atacados e seqüestrados quando iam a outro local.

A União Nacional de Jornalistas Somalis informou em seu site que investiga a identidade dos seqüestrados, se têm fins políticos ou buscam um resgate.

A organização de jornalistas assegurou que ninguém assumiu o seqüestro e exigiu a libertação dos quatro reféns.

Há pouco tempo foram libertados os voluntários italianos Jolanda Occhipinti e Giuliano Paganini, depois do pagamento de um resgate que teria sido de US$ 1 milhão, o mesmo que o supostamente foi pago a piratas somalis pela libertação de um casal alemão. EFE da/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG