Jacarta - A Polícia da Indonésia anunciou neste domingo que identificou um dos dois terroristas suicidas que cometeram os ataques de sexta-feira passada contra dois hotéis de luxo da capital, mas não divulgaram o nome dele.

"Um dos dois foi identificado", confirmou à imprensa o porta-voz da corporação, Nanan Soekarna, que se limitou a revelar a inicial, "N".

Reuters
Local atingido pela explosão

Os legistas ainda estudam os restos mortais do outro suicida para determinar sua identidade.

Desde sábado as investigações para encontrar os responsáveis se centram em analisar os corpos e a terceira bomba, que foi desativada a tempo.

Também está sendo analisado o quarto 1808 do hotel Marriott, considerado o "centro de operações" do massacre e no qual foi descoberto material explosivo e a terceira bomba.

As bombas tinham pregos, porcas e parafusos para aumentar o efeito, e são "idênticas", segundo a Polícia, a outras utilizadas anteriormente pela Jemaah Islamiya, o braço da Al Qaeda no Sudeste Asiático.

As autoridades indonésias atribuíram os atentados a uma facção de radicais dissidente da Jemaah Islamiya e liderada pelo malaio Noordin Mohammed Top.

Top, a quem as forças de segurança consideram um especialista na fabricação de bombas, é acusado de participar, entre outros, dos atentados de Bali de 2002, o pior ataque do grupo radical e que deixou 202 mortos.

O atentado ocorreu na manhã de sexta-feira, quando duas bombas explodiram quase simultaneamente nos hotéis Ritz-Carlton e JW Marriott do centro financeiro da capital indonésia, deixando pelo menos nove mortos e 50 feridos.

Leia também:

Leia mais sobre Indonésia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.