Ícone dos anos 80, walkman completa 30 anos

Isabel Conde. Tóquio, 1 jul (EFE).- Primeiro tocador de música portátil do mundo, o walkman está completando 30 anos, justamente no momento em que os aparelhos de mp3 estão ficando cada vez mais populares.

EFE |

Apesar de obsoleto, o walkman segue como um dos principais ícones da década de 80. Além disso, é cercado de lendas e polêmicas sobre sua criação. E, em uma das versões sobre sua origem, um brasileiro aparece como seu inventor.

Lançado pela Sony em 1º de julho de 1979, o aparelho causou uma revolução, já que permitiu que as pessoas ouvissem música "em qualquer lugar e a qualquer momento", como dizia o slogan em seu lançamento.

Uma porta-voz da companhia japonesa disse à Agência Efe que, desde o lançamento do TPS-L2 azul e prateado, foram vendidas mais de 385 milhões de unidades.

O modelo acabou virando um nome genérico e rapidamente alcançou o status de ícone.

No entanto, hoje em dia, o walkman - que toca fitas e precisa de pilhas para funcionar - sofre com a concorrência de modelos muito menores e com baterias de lítio.

"O walkman mudou a nossa forma de escutar música", disse à agência Efe Rob Mason, um americano de 28 anos que lembra com clareza do primeiro seu aparelho.

"Eu ia com ele para todos os lugares e ainda tenho guardado", acrescentou.

Mason estava no edifício da Sony conhecendo as últimas novidades da empresa e reconheceu a importância do iPod, da Apple.

"A criação definitiva de um dispositivo de música portátil é o iPod", afirmou.

O primeiro modelo do tocador de música digital da Apple foi lançado em 2001. A esta altura, o walkman já havia sido superado pelo cd e o minidisc.

A Apple já vendeu mais de 210 milhões unidades do iPod, que, aparentemente, vai superar seu antecessor. Além disso, o pequeno aparelho já pode ser considerado um ícone da atual década.

Porém, como costuma ocorrer com os ícones, a origem do walkman é cheia de lendas e disputas, e há inclusive uma história segundo a qual um alemão naturalizado brasileiro teria sido seu inventor - com quem a Sony chegou a travar uma batalha na Justiça.

Segundo a versão oficial da empresa, a ideia da invenção foi de seus fundadores, Masura Ibuka e Akio Morita, que tinham a proposta de fazer com que as pessoas levassem a sua música para vários lugares, sem incomodar terceiros.

"Após uma viagem aos Estados Unidos, Morita voltou impressionado com os muitos jovens americanos que saíam para a rua com seus enormes rádios", disse à agência Efe outro porta-voz da Sony.

No entanto, o porta-voz reconheceu que há muitas teorias sobre a origem do aparelho.

Por sua vez, o inventor alemão naturalizado brasileiro Andreas Pavel patenteou na Itália, em 1977, e posteriormente nos EUA, Alemanha, Reino Unido e Japão, um tocador de áudio portátil.

A briga entre Pavel e a Sony começou em 1980, até que a empresa se viu obrigada a pagar royalties sobre alguns dos modelos comercializados na Alemanha, em 1986, embora sem reconhecê-lo como pai da invenção.

O reconhecimento chegou somente em 2003, junto com uma indenização cujo valor não foi divulgado. Além disso, a Sony selou um acordo segundo o qual Pavel não poderia entrar com mais nenhum processo na Justiça. EFE icr/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG