Hungria aceitará recluso de Guantánamo

Budapeste, 16 set (EFE).- O primeiro-ministro húngaro, Gordon Bajnai, anunciou hoje que a Hungria aceitará um prisioneiro da base militar americana de Guantánamo, possivelmente um palestino, de acordo com o plano para fechar esse centro de reclusão.

EFE |

Em declarações à imprensa húngara, Bajnai disse que informou na terça-feira, por telefone, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, sobre esta decisão.

A Hungria apoia o programa destinado a fechar a prisão de Guantánamo, como anunciou o presidente americano, Barack Obama, em 22 de janeiro, com a assinatura de uma ordem executiva, ressaltou o chefe do Governo húngaro.

"Com o fechamento da prisão, será criada uma situação mais legal e haverá mais liberdade", disse Bajnai, em entrevista coletiva em Budapeste, onde também participou Daniel Fried, enviado especial americano para o fechamento de Guantánamo.

O primeiro-ministro húngaro insistiu em que, ao aceitar um dos reclusos, a Hungria se compromete com o fechamento da prisão e mostra ser um aliado "confiável". EFE mn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG