Humanos utilizavam fogo para trabalhar pedra há 72.000 anos

Os primeiros seres humanos modernos já utilizavam a tecnologia do fogo para fabricar ferramentas de pedra há 72.000 anos no sul da África, segundo estudo publicado nesta quinta-feira na revista Science.

AFP |

"Descobrimos que os primeiros homens modernos, há 72.000 anos, ou inclusive 164.000 anos, na costa da atual África do Sul, já utilizavam um fogo minuciosamente controlado para, após um procedimento complexo, aquecer a pedra e alterar suas propriedades", afirmou Kyle Brown, da Universidade do Cabo sul-africana, um dos principais autores do estudo.

Até agora os indícios mais antigos conhecidos de utilização do calor para fabricar ferramentas remontavam há 25.000 anos na Europa.

"Nossa descoberta deste uso do fuego mostra que os primeiros homens modernos controlavam o fogo de uma maneira moderada e sofisticada", completou Brown.

Restos de silcreta, um amálgama de sílex capaz de ser trabalhada em contato com o calor, foram encontrados enterrados no sítio arqueológico de Pinnacle Point, na África do Sul

Os arqueólogos repetiram a técnica utilizada pelos humanos pré-históricos. "Os resultados foram surpreendentes", afirma Curtis Marean, paleoantropólogo e professor da Universidade do Arizona.

"Depois de aquecida, a silcreta assumiu uma cor vermelho profundo e era facilmente transformado em fragmentos. Além disso, era muito parecida com a encontrada no sítio arqueológico. Ao utilizar esta silcreta aquecida, éramos capazes de produzir cópias muito realistas das ferramentas originais", explicou Marean.

As ferramentas fabricadas há 72.000 anos eram excelentes facas e armas de caça.

"Nossa descoberta demonstra que os primeiros homens modernos tinham um conhecimento elaborado do uso do fogo", destaca Marean.

"A expressão deste conhecimento tecnológico por estes primeiros homens modernos na costa meridional da África do Sul nos dá provas suplementares de que este local pode ser origem dos antepassados de todos os homens modernos, que apareceram na África há 100.000 e 200.000 anos", acrescenta Marean.

"Há 50.000 ou 60.000 anos, estes homens modernos deixaram o clima quente da África e seguiram para o ambiente gelado da Europa e Ásia, onde se encontraram com os homens de Neandertal", explica o professor.

As populações de Neandertal foram extinta há aproximadamente 35.000 anos e os homens modernos dominaram da Espanha a China, passando pela Austrália.

O trabalho foi realizado por cientistas da Universidade do Cabo, de Liverpool na Inglaterra, de Wollongong na Austrália e de Bordeaux, na França.

vmt/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG