Human Rights Watch pede que EUA respeite direitos de crianças iraquianas

Genebra, 21 mai (EFE) - A organização defensora dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) pediu hoje aos Estados Unidos que dêem tratamento adequado aos jovens e crianças iraquianos que estão sob sua custódia, de acordo com as normas estabelecidas pelo direito internacional. O Comitê sobre os Direitos da Criança da ONU examinará amanhã um relatório apresentado pelos Estados Unidos sobre o cumprimento do tratado internacional que proíbe que crianças atuem como soldados. Esse comitê quer que os Estados colaborem para a reintegração social dessas crianças que estão sobre seu controle. Segundo HRW, os Estados Unidos têm detidas no Iraque cerca de 12.200 pessoas que são consideradas pelos americanos como uma ameaça para sua segurança.

EFE |

Destas, 513 são menores de idade.

Ao ratificar em 2002 um tratado sobre crianças em conflitos armados, os Estados Unidos se comprometeram a não recrutar nem utilizar pessoas menores de 18 anos em nenhum caso e a dar toda a assistência necessária, tanto física como psicológica, para conseguir que esses jovens se recuperem.

A ONG americana afirma que "desde 2003, os EUA detiveram cerca de 2.400 menores de 18 anos no Iraque, incluindo crianças de até dez anos. As detenções aumentaram drasticamente em 2007, com uma média de 100 novas crianças detidas por mês, número superior às 25 do ano anterior".

Esses menores "podem ser interrogados durante vários dias ou semanas por unidades militares no terreno antes de serem enviados aos principais centros de detenção", afirma a HRW. EFE is/rr/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG