Washington, 23 set (EFE).- Human Rights Watch (HRW) pediu hoje à Organização dos Estados Americanos (OEA) que exija ao Governo interino de Roberto Micheletti que desista de aplicar a força contra os manifestantes e garanta outros direitos fundamentais.

Acrescentou em comunicado que o uso da força teria deixado até agora um manifestante morto "embora possivelmente as vítimas sejam mais".

HRW assinalou que, segundo suas fontes, mais de 150 pessoas foram detidas de maneira arbitrária.

"A comunidade internacional deve adotar medidas imediatamente para impedir que as forças de segurança hondurenhas cometam novos abusos", afirmou José Miguel Vivanco, diretor para as Américas da Human Rights Watch.

Segundo a organização, o Comitê de Familiares de Detidos Desaparecidos em Honduras (COFADEH), informou que José Jacobo Perdomo, de 16 anos, foi assassinado na tarde de 22 de setembro pela Polícia em San Pedro Sula.

O grupo também recebeu denúncias, não confirmadas, que hoje se teriam produzido outras quatro mortes por violência policial em Tegucigalpa, disse HRW.

"A Polícia hondurenha tem faculdades para deter aos manifestantes que cometam atos delitivos violentos", expressou Vivanco.

"Mas isso não lhes dá liberdade de ação para atuar com brutalidade ou indiferença contra os direitos básicos de devido processo" acrescentou. EFE ojl/fk

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.