HRW quer que Conselho de Segurança discuta violência no Zimbábue

Nova York, 28 abr (EFE).- A ONG Human Rights Watch (HRW) pediu hoje ao Conselho de Segurança da ONU que inclua o Zimbábue em sua agenda de assuntos discutidos e que solicite à União Africana que intervenha para garantir que os direitos humanos sejam respeitados nesse país.

EFE |

A HRW assinala em comunicado que o órgão executivo das Nações Unidas "deve reconhecer" que o aumento da violência governamental no Zimbábue depois das polêmicas eleições do mês passado "é uma ameaça para a paz e a segurança regional".

A diretora para a África da HRW, Georgette Gagnon, afirmou que "a violência com respaldo governamental no Zimbábue continua aumentando sem um final previsto, o que deixa os zimbabuanos comuns sem proteção".

A HRW diz ter demonstrado que o Governo "está de maneira ativa" armando e organizando grupos de autodenominados "veteranos de guerra", e alega que essas milícias "estão seqüestrando e em alguns casos matando" opositores ao regime.

Acrescenta que o aumento da violência e a crise econômica no país africano estão fazendo com que milhares de pessoas fujam para países vizinhos como a África do Sul e Moçambique.

A ONG pede também ao Conselho de Segurança que considere o estabelecimento de sanções contra os responsáveis pela violência com respaldo governamental no país. EFE vm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG