HRW pede que Honduras anule decreto de urgência contra liberdades públicas

A organização de defesa dos Direitos Humanos Human Rights Watch pediu nesta segunda-feira ao governo de fato em Honduras que anule um recente decreto que restringiu severamente a liberdade de imprensa nesse país.

AFP |

"Roberto Micheletti tornou ilegais as críticas públicas" contra seu governo, disse o diretor para a América Latina da Human Rights Watch, José Miguel Vivanco.

"Esse tipo de decreto era habitual para os governantes autoritários, de (Augusto) Pinochet no Chile a (Fidel) Castro em Cuba, que apenas toleram a liberdade de expressão quando beneficia seu governo", acrescentou Vivanco.

"O governo de fato de Honduras deve anular imediatamente o decreto de urgência que restringiu severamente a liberdade de imprensa", acrescenta o comunicado.

Nesta segunda-feira, o governo de fato de Honduras, que no dia 28 de junho derrubou o presidente Manuel Zelaya, fechou a Rádio Globo de Tegucigalpa, um dos últimos meios de comunicação contrários ao regime que funcionavam no país, no dia seguinte à aprovação do decreto de emergência.

ltl/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG