Nova York, 24 jun (EFE).- A Human Rights Watch (HRW) e outras 400 ONGs pediram hoje às Nações Unidas que assegurem que o controle das drogas ilícitas não impeça o acesso aos serviços para tratamento da aids.

"A ONU determinou que o controle das drogas deve ser realizado respeitando os direitos humanos e as liberdades fundamentais", disse hoje Rebecca Schleifer, responsável pelo Programa de Saúde e Direitos Humanos da entidade, em comunicado à imprensa.

A HRW e várias ONGs escreveram uma carta ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, com esse pedido, dois dias antes de o Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC, em inglês) divulgar seu relatório anual.

A ONU comemora em 26 de junho o Dia Internacional contra o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas.

Schleifer acrescentou que apesar do compromisso da ONU, "os Governos de todo o mundo cometem abusos dos direitos humanos em nome do controle das drogas. Não são só abusos horríveis, mas também minam os esforços para lutar contra o vírus HIV e a aids".

Segundo dados do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/aids (Unaids, em inglês), um terço de todas as novas infecções de HIV fora da África se deve ao uso de drogas injetáveis.

As ONGs lembram que os países-membros da ONU se comprometeram a proporcionar acesso universal em 2010 aos tratamentos para prevenir a aids.

As entidades criticaram a atuação de alguns países, principalmente da China, que segundo elas, "nos últimos anos, comemoraram o 26 de junho com execuções públicas de viciados". EFE emm/wr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.