HRW pede fim de leis que criminalizam homossexualismo

Nova York, 17 dez (EFE).- A ONG Human Rights Watch (WRW) pediu hoje a abolição de leis que em vários países ainda consideram ainda o homossexualismo como um delito, algo que, segundo a entidade, é legado da era colonial britânica.

EFE |

A organização pediu aos Governos de mais da metade dos países do mundo em que seguem vigentes essas leis que adotem os padrões internacionais e eliminem as normas que castigam a atividade sexual entre adultos do mesmo sexo.

O relatório assinala que tais normas, que se aplicam em vários países da região da Ásia-Pacífico e da África, têm sua origem em uma lei que durante a era colonial britânica se impôs na Índia em 1860.

"Metade dos países do mundo que criminalizam a conduta homossexual fazem isso porque se apóiam na moralidade vitoriana e em leis coloniais", assinalou o diretor da HRW Scott Long.

A organização lembra ainda que alguns líderes nacionais - entre eles o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe - defenderam a permanência dessas leis como um reflexo de culturas indígenas.

A organização lembrou que uma declaração assinada por mais de 60 países e que afirma que a proteção dos direitos humanos inclui também a orientação sexual e a identidade de gênero, será lida na quinta-feira na Assembléia Geral da ONU. EFE vm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG