HRW pede à ONU investigação sobre centros de detenção de drogados no Camboja

Phnom Penh, 31 jan (EFE).- A ong Human Rights Watch (HRW) pediu hoje à ONU para investigar as denúncias de surras, choques elétricas e outros maus tratos em centros de detenção de drogados no Camboja.

EFE |

"As Nações Unidas estão de acordo que estes centros são ilegais e abusivos. Agora, o Unicef e o Escritório da ONU Contra as Drogas e o Crime têm que deixar claro ao Governo do Camboja que deve fechá-los", disse o diretor de Saúde e Direitos Humanos da Human Rights Watch, Joe Amon, segundo um comunicado de imprensa.

A ong também pediu ao organismo multilateral para não reconhecer nenhuma lei cambojana sobre drogas que não respeite os padrões internacionais, em alusão à minuta de projeto de lei redigida pelo Governo do primeiro-ministro Hun Sen.

"Nós nos reunimos com o Unicef no Camboja em setembro do ano passado para falar destes abusos e nos disseram que iam investigar, mas não o fizeram e dizem que os menores estão internados ali voluntariamente", acrescentou Amon.

O Escritório da ONU Contra as Drogas e o Crime colabora com assessoria e dinheiro (pelo menos US$ 1 milhão) com as autoridades cambojanas no desenvolvimento de medidas para combater a toxicomania desde 2001.

A HRW acrescentou que tentaram falar com o Governo cambojano sobre o problema em várias ocasiões e sempre foram rechaçados. EFE jcp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG